Pular para o conteúdo principal

Chocada com o Prates...

Está todo mundo chocado com a morte do filho da Cissa Guimarães. Eu estou chocada é com a total falta de respeito do ser humano com o próximo, com a displicência com a vida alheia, com a imprudência, com as vaidades... Nisso, lá se vai mais um jovem que, de certo, ainda não havia sentido o gosto bom da vida. Isso sim me choca.

Na verdade eu lamento toda perda humana e animal. Independente da idade, de raça, credo, opinião política... Claro, que a gente se sensibiliza mais ainda com aqueles que estão ao nosso lado, que nos são próximo. Mas mortes violentas sempre nos alertam sobre a capacidade maligna ou inconseqüente do que nossos “semelhantes” podem cometer, como no caso de Eliza Samudio.

Mas o que fiquei de cara mesmo foi com o comentário de Luiz Carlos Prates, hoje, no Jornal do Almoço de SC. Quanta bobagem uma pessoa pode dizer em rede televisiva... É como se houvesse justificativa para a morte de um jovem que, inadvertidamente, andava de skate numa via pública carioca, de madrugada, mesmo que interditada. Ao meu entendimento sobre o comentário deste comunicador, a culpa da morte do filho é a própria Cissa que não soube dizer Não ao jovem, que - para Prates - deveria estar dormindo em segurança dentro de casa. Idiota!

De certo ele tem raivinha da pressão social que o grupo de artistas e a própria Globo [e a mídia em geral] está concedendo sobre o caso. Ao menos um ou dois motoristas irresponsáveis poderão sofrer as devidas conseqüências sobre seus atos. Não entendo como um comunicador pode defender, abertamente, o comportamento covarde e frio de pessoas que atropelam e fogem - passam por uma barreira com um carro semi destruído e apresentando calma. De pessoas que fazem da alta velocidade uma prática normal. Do atropelamento violento e da falta de hombridade, capaz da omissão de socorro.

Câncer social como esse que temos na tevê tem que ser extraído da mídia. Quer que a morte bruta de uma pessoa sirva de lição a todos os pais e jovens. Ah, por favor! No site da RBSTV ele é citado como polêmico. E sim: É! O “baluarte da moral e dos bons costumes” que sempre tem um comentário a fazer sobre comportamento. Queria saber o que ele deve ter pensado sobre o parente estuprador do chefe...

É Prates... Acho que tem razão mesmo. A culpa é da falta de pulso da mãe. Mas não da mãe do Rafael. Nem do Rafael...

Comentários

Sempre o achei um falso moralista, ridiculo e ultrapassado...é um machista e facista.....uó...e é datua terra essa tralha...hehehe
Ah.... esqueci de dizer...entre no site http://www.tijoladasdomosquito.com.br/

O Mosquito é quem gosta do Prates..hehe
Anônimo disse…
É, manda o link pra "Globo Mãe", o q será q a própria Cissa diria... POOOOORCO.
Bá Angélica, nós temos outros da mesma laia do Prates para exportar. Hehehe. Ainda bem que desse mal a gente se livrou cedo. Vou seguir as tijoladas no twitter. Hehehe.

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…