quarta-feira, 2 de junho de 2010

Tempo, tempo, tempo

Maria Bethânia sempre me encantou. Ela e Clara Nunes. Talvez por que esta segunda artista foi o primeiro álbum que entrou na minha casa. Eu lavava a louça ao som de Morena de Angola. Depois, foi a vez de Maria Bethânia. Muito depois... E Mel foi a segunda canção da minha infância.

Teve uma vez, já na juventude, troquei a oportunidade de ver uma das minhas interprétes favoritas por um Festival do Chope na cidade de Feliz. Poucos quilômetros de Porto Alegre. Para uma estagiária secundarista, ou era um ou outro. E sim, me arrependi depois.

Ainda nutro o desejo, a vontade, de ver essa diva brasileira. Mel deve estar fora de seu repertório, com certeza. Mas, quem sabe, pedindo com carinho ela entoe a Oração ao Tempo pra mim. Só pra mim...

Peço-te o prazer legítimo

E o movimento preciso

Tempo tempo tempo tempo

Quando o tempo for propício

Tempo tempo tempo tempo...

*

De modo que o meu espírito

Ganhe um brilho definido

Tempo tempo tempo tempo

E eu espalhe benefícios

Tempo tempo tempo tempo...