Pular para o conteúdo principal

Lisa, como a índia Potira



Todos sabem da minha adoração por cabelos crespos. Por isso mantenho meus toin toin com cuidado. Cremes para hidratá-los estão no mesmo grau de importância que as loções cremosas para o corpo e mãos. Claro que, como não sei ser fashion faço um permanente afro uma vez ao ano para relaxar os fios sem perder o enrolado.

Depois, pelo menos uma vez ao mês [quando estou com os cachos danificados me doutrino e faço semanalmente] faço hidratação em casa com um restaurador cheio de vitaminas, proteínas e óleos. Tratamento de choque mesmo. E vou me habituando ao visual, que a cada processo fica de um jeito.

O problema é que este ano eu experimentei o babyliss e adorei o resultado. Nisso, já fiz o negócio mais duas vezes. A última foi na quarta-feira passada para ir numa homenagem a uns desembargadores. Estava eu lá, linda e bela e com cachos de boneca no jantar, exibindo minha figura roliça pelo salão o Clube Riobonitense, que só costuma me ver na sexta-feira de carnaval e bem bagaça...

Desta vez estava um arraso. Mesmo com o dia chuvoso que estava desde cedo. Pensei que os cachos se desenrolariam antes mesmo deu sair do salão. Mas a cabeleireira me garantiu que ia fixar bem o cabeção da Cassandra. E ela não poupou no Spray “Karina”. Eu odeio esse negócio fedorento e que deixa o cabelo artificialmente duro. Mas era um mal necessário naquele dia.

Fiz o cabelo às 16 horas e três horas depois eu continuava cacheada, mesmo depois de 99% da umidade do ar e do vapor do banho quente. Mas sentia um cheiro estranho, que para mim só podia ser do Karina. No outro dia eu já não tinha mais os cachos, mas as madeixas onduladas... e mais fedorentas. A pressa me fez sair sem lavar os cabelos e na sexta nem eu me agüentava. Lavei os cabelos com gosto, louca para ver meus toin toin de volta. E tcharã! Eles não voltaram.

Passei o sábado achando que havia algo errado. O fedor continuava. Cheira a química de alisamento e logo imaginei que a prancha devia estar “contaminada” com algum alisante. Usei um shampoo antiresidual e hidratei os cabelos. Nada dos crespos... Acordei domingo pensando que a noite, com cacheador, teria feito milagres. Resultado: fui trabalhar hoje, com toda a umidade do dia, como se tivesse acabado de fazer uma escova mal feita eu mesma. Ou seja: a raiz crespa em um dedo de cumprimento [segundo o PP como se fosse um novelo de lã] e o resto liso que nem a índia Potira.

Fiquei desesperada. Afinal, a idéia de ficar lisa permanentemente me assombra. Gostava da escova por que se lavasse tudo voltada ao normal. Agora não... Amanhã, terça, o salão reabre e com um pouco de boa fé ela vai dar a resposta e a solução aos meus cabelos. Espero eu!


DICAS

Saiba como deixar seu cabelo fabuloso. Super fashion. Escolha entre os 58 truques. Saiba aqui. E Não esqueça: Desconfie sempre quando o "profissional" disser algo do tipo - vou dar um jeito nisso. Esse jeitinho pode acabar com seus cabelos.

Comentários

Bem que o reolon te viu esses dias e perguntou se tu tinha alisado os cabelos...hehehe...

Isso não é feitiçaria, é tecnologia videirense.....aff....
Anônimo disse…
uhauhauhauhauhauha.....
não aguentar o próprio cheiro é bucha hein!!!!!
Anônimo disse…
Ah, foi a Rou...bjocas!
jana disse…
kkkk
tem certeza que os profissionais desse salão tem habilitação para trabalhar?
o "karina" não é tão federento e ruim assim.... a bem da verdade é que ele segura mesmo o penteado mas nada que depois uma chuverada não resolva.....
te cuida nega, eles podem ter colocado outro spray dentro desse frasco, sabe como é.....
conheço milhares desses casos....
até naquele chique e viado do danilo (em poa) eles fazem essa mistureba....
kkkkk
venha para poa e te indico uns salões bacanas
Gente, falei hoje com a "estituteira". A muié, claro, disse que spray não alisa. Eu disse-lhe, que sabia que não alisava, mas que fedia, ah, isso fedia... Bom, ela tirou o corpo fora. Sem resíduo de química na chapa, nem nada. Vou ligar para a minha cabeleireira em Porto Alegre. Ela poderá me responder sobre isso.

Jana - Quando voltar à Porto, vou é pegar minha indenização para ir no Formiga, isso sim. Esse tal de Danilo nunca ouvi falar. Já o Formiga é quem mantém as madeixas da Deise Nunes sedosos...

Rou - Aquilo fedia muito, dava até vergonha.

Polly - Putz, meus fãs adoram os cachos. N posso perdê-los por causa de uma louca de salão. Qdo perguntarem, diga que NÃO. Plis! Hehehe. Que foi um engano óptico.
jana disse…
deise nunes deve estar arrumando as madeixas no salão do baiano.
depois do escandalo do marido duvido que ela ainda consiga gastar os tubos, kkkkk

"formiga". ele/ela tem a bunda grande ou são os frequentadores, kkkk

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Atrás da folhinha verde?

Eu já cansei desse papo de superação feminina, até no sexo. A gente tem que saber plantar bananeira, beijar a brasileira, a japonês e agora até beijo grego. Tem doido que gosta de mal tempo inclusive na cama e pede para a parceira a chuva dourada ou a chuva negra. Ai, eu gosto de uma "pimentinha", como diz o Enfil, mas essa loucura eu estou passando.

"Eu quero a sorte de um amor [sexo] tranquilo, com sabor de fruta mordida". Pronto. Nem mais, nem menos. Sou a favor de um comportamento ecologicamente correto, mas não estou na pilha de aprender a fazer a folhinha verde. Não, não!

Agora, se quiser saber mais sobre minha indignação a respeito da liberdade sexual, vá no Sexo Verbal e leia meu texto sobre o assunto. Ah! E não esqueça de opinar. Eu gosto tanto de lero, lero... Principalmente sobre sexo.