Pular para o conteúdo principal

Nêga, versão mulherzinha



Ando numa fase muito mulherzinha [e consumista]. Recebi visitas e cozinhei. Fiz compras no super, coisa que odeio; fui na fruteira mais de uma vez; limpei a casa frequentemente; lavei roupas. Não que essas atividades não façam parte do meu cotidiano, mas fiz isso pra dois. Geralmente sou só eu, mas por 13 dias - número cabalístico ou de esquerda - não era somente eu. E sim a nêga aqui e meu homem de neanderthal.

Na verdade, essa visita só aflorou meu lado mulherzinha. O cara antiquado, machista, solteirão trouxe muitas conversas à tona e um comportamento receptivamente feminino. Não feminista. Melhor seria se ele tivesse me dado dinheiro para eu gastar na lojinha de perfumes e maquiagem da esquina. Mas como somos amigos, restou pra mim mesma entrar na loja e desembolsar os quase R$ 150 gastos em 36 horas.

Na segunda, cansada de lacrimejar e manchar a região dos olhos com uma maquiagem barata, desci até o centro e entrei no Boticário. Lá, fui testando máscaras para cílios, delineadores de olhos, batons, gloss, sombras e demaquilante. Já de cara foram R$ 104 em três peças: a máscara de cílios preta em 3D, perfeita para quem tem cílios insignificantes como eu; um delineador verde com esfumaçador [com um efeito lindo, recomendo] e outro retrátil, preto, a prova d’água. Ah, e uma maquiagem free que a atendente fez em mim enquanto experimentava tudo que tinha na loja.

No outro dia, voltei lá para buscar um shampoo anti-residual. O negócio estava na promoção, assim como o gloss vermelho. Pronto! Lá se foram mais R$ 38. E se não me cuido já tinha comprado também o demaquilante e o jogo de pincéis. Ai, sai caro esse lance de mulherzinha elegante e charmosa. Mesmo assim comprei e joguei os alternativos no lixo.

E para encerrar o mês com chave de ouro, amanhã lá estarei eu investindo outros R$ 25 num cursinho the flash de maquiagem. Afinal, preciso saber aplicar sombras e blush em cima de base e pós, harmoniosamente. Ou seja, sem parecer uma imitação pop da “Priscila, Rainha do Deserto”.

post programado, só para não perder o hábito.
mas fiquem gel.
o homem de neanderthal já foi embora.

Comentários

RosanaK disse…
Ai menina, comigo acontece exatamente o contrário: não tenho vontade nem de chegar perto do meu rímel 3D. Aff, nem sapatos me atraem...to passando por uma crise consumista!!!! Não sei o que acontece comigo...
Mas que bom que a sua visita despertou o seu lado "mulher"....o q será que vocês fizeram que resultou nisso????
Tenho q te encontrar pra te dar a coisa peluda que te trouxe do deserto.....
Eugenia disse…
Que delícia, Cor você me inspirou para as compras, vou dar um pulinho lá, quem sabe não compro aquele perfume que tenho adiado há meses. sou bem feminina, mas comprar fragâncias nunca foi meu forte, comparar, cheirar depois de testar o terceiro todos me parecem iguais. Um abração e ter um homem por perto é sempre bom não é mesmo?
JANA disse…
KKK
ACHO QUE VC ESTA QUERENDO SEDUZIR ALGUÉM....
Anônimo disse…
o mulher....procura um template legal que eu instalo pra ti!
rou
Sexo Verbal disse…
Mulheres...você são tão estranhas....kkkkk
Beijo, carvoeira!

Enfil
Sexo Verbal

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Tabaco em pó

Ah, meu trabalho me diverti! No cotidiano do jornalismo, quando estou apurando as informações, encontro de tudo: gente normal, gente doida; assassino, polícia; travesti e religiosas. Tem até um senhor, cheirador de rapé.
É o seu Willi. Ele é um velhinho alemão, simpático, com forte sutaque que denuncia sua origem. Ó conheci hoje. No meio de uma entrevista, onde ele entrou de gaiato, puxou do bolso o porta fumo em pó dele e deu uma cheirada.
"Eu nunca fiquei resfriado ou doente fumando rapé. Esse eu ganhei (n lembro de onde veio o fumo, mas era importado), mas eu também faço. Ontem mesmo foi a Jussara lá buscar. Olha o cartão dela aqui. Ela é massoterapeuta", disse o alemão.
Divirtido o senhor, que tem várias manias, além de cheirar o pó perfumado e fino, quase uma poeira. E advinhem, ele me ofereceu e eu aceitei. Pus no dorso da mão, entre o polegar e o indicador e mandei ver no narigão chato. A inexperiência me fez cheirar tudo numa narina só. Não tenho a prática do velhinho,…

Uma pegada forte e 15 dias

Faz tempo que não escrevo sobre sexo. Talvez por que venho praticando pouco. Ou a qualidade tenha decaído. Creio que é isso. Tem muito cara se achando por aí. E não tem idade. É jovem, maduro ou... vividos.
Não me lembro de ter transado com um cara jovem que não fosse afoito. Imagino que pensam que basta meter, forte, que a mulher afrouxa a musculatura e goza. Sei não...
Já os maduros apostam na experiência para agradar sua parceira. E expressam isso. Eu chupo, eu pego, eu belisco... Na hora da cama, eles não sabem nem tocar uma mulher com volúpia. Quem dirá cumprir todas as falsas afirmações. E pior: tem homens maduros que não curtem “cunnilingus”, mas adoram uma felação. Que merda. Há machismo até no sexo. :o E tem os vividos, o sexo sênior. Desculpa aí, mas tenho pouca experiência nessa área. Ufa! Ainda bem. No entanto, se o Djavan me pedisse qualquer coisa chorando, eu faria sorrindo, ajoelhada. Ou coisa parecida. J
No meio de tudo isso tem “os caras”. Os que sacam do paranauê. E qua…