Pular para o conteúdo principal

Candidatas mulheres


As pré-candidatas à Prefeitura de Porto Alegre (RS), as deputadas Manuela D'Ávila (PC do B), Luciana Genro (PSOL) e Maria do Rosário (PT), participaram nesta segunda-feira (24) do programa Polêmica, da Rádio Gaúcha. As três devem enfrentar José Fogaça (PMDB), que deve ser candidato à reeleição. Foto: Arivaldo Chaves/Agência RBS/AE

Desembarquei em Porto Alegre no Domingo 16. Como sempre, minha mãe preparou um café da manhã digno dos Deuses, regado a boa conversa sobre o cotidiano familiar, da vizinhança e da cidade. Mas o que ela esqueceu de me dizer, e que soube somente quando fui fazer um happy hour com amigos na 'City Down', é que o Porto dos Casais tem três pré-candidatas ao executivo municipal. Sim! Luciana Genro, pelo PSOL, Manuela D'Ávila, PC do B, e Maria do Rosário, PT.

Desci do ônibus, no último ponto da Avenida João Pessoa, quase em frente a municipal do PT, onde um grupo de pessoas, com bandeiras, estavam a postos. 'O que está acontecendo por aqui?' Pensei... Logo que entrei na Rua da República dei de cara com o baiano, jornalista da Prefeitura Municipal e petista de carteirinha. Me atualizou de tudo o homi. Eram as prévias do partido para decidir quem seria o pré-candidato. Na disputa, Maria do Rosário e Miguel Rossetto - que, aliás, é um ótimo político.

Na segunda já percebi o clima de concorrência no ar. Mas tudo muito fino, por que é assim que as coisas são entre mulheres inteligentes, de classe (mesmo que uma delas seja a Luciana Genro, a mais arraigada nos seus conceitos, entre todas). Tudo indica que as três deverão disputar a prefeitura da capital gaúcha com o atual prefeito, José Fogaça (PMDB), que a meu ver e a de amigos e familiares, irá perder para uma delas. Acompanho de longe, bem de longe, seus feitos. E convenhamos, tá muito aquém do que deveria ser. Mas, também corre a boca miúda, que agora a deputada federal Manuela busca um vice para compor sua chapa. E que essa aliança poderá ser esdrúxula. Para continuar sendo sincera, nada me admiraria... Porém, fico assustada, já que a carreira política da rapariga vem surpreendendo desde sua primeira candidatura, vitoriosa e estrondosa ao legislativo.

Tudo isso é para dizer que fiquei surpresa com tanto agito no meio político municipal de lá. Sim, o de lá. O de Videira ainda não emplacou. Os possíveis 'pré-candidatos' ficam num diz-que-me-disse, dando margem as especulações na sociedade, partidos e imprensa. Estão perdendo tempo! Para mim isso é sinônimo de desorganização partidária, de falta de consenso nos grupos e, me atrevo a dizer, insegurança ou amadorismo.

Quem assumiu sua postura de pré-candidata ao executivo videirense, desde cedo - com anúncios e trabalho - foi a vereadora Rosa Bogoni (PT). Acredito que isso seja positivo para o pleito e mais ainda para o partido. E, depois de muito tempo, o vice-prefeito Eduardo Gelinski (DEM) teve sua indicação confirmada pelo seu partido, embora há dois anos ele tenha assumido uma postura política que anunciava seu interesse pela gestão municipal 2009-2012. Porém, todo esse 'trabalho' ficou ameaçado com boatos de que os democratas teriam outro nome para concorrer em outubro. Ponto negativo já.

Enfim, como digo por aí, a eleição municipal de Videira vai ser acirrada e divertida. Queria ser uma mosquinha para transitar nos bastidores dos partidos e ver, de perto, o que ocorre nas entrelinhas.

Comentários

Anônimo disse…
Hi
You have a great blog!
Let me invite you and
everyone you want to:
eBambi
Present yourself
and meet your friends.
Join now:
http://www.ebambi.com

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe