Pular para o conteúdo principal

Analfabetismo

"Um país se faz com homens e livros"
(Monteiro Lobato)





O que você faz para acabar com o analfabetismo no Brasil?

by Georgia Aegerter

Ao ler sobre o assunto aqui, tão bem escrito por Ataíde Lemos, fiquei assustada que ainda possa existir no Brasil um número de analfabetos tão expressivo. "O Brasil foi reprovado em: Ciências, Matemática e Leitura. Ocupando o 53º lugar dentre os 55 países que foram submetidos à pesquisa, que foi feita pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Ele lança a pergunta: Qual será o futuro de um país onde a educação está relegada ao segundo ou terceiro plano?"

Devo confessar a vocês que esta pergunta me incomodou muito nos últimos dias. Assim, desejei fazer algo, como uma blogagem, onde pudéssemos discutir o assunto e propor soluções. Parece-me uma boa idéia, agora. Quando eu vivia no Brasil, durante dez anos trabalhei alfabetizando as crianças de rua ali na Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro. Os adultos em algumas escolas à noite e na Favela da Rocinha, durante dois anos. Fiz isso voluntariamente nos meus horários livres. Nunca recebi um centavo. Mas a satisfação veio por ter levado a leitura a quem não sabia ler e escrever.

O Brasil se ilude imaginando que o analfabetismo diminuiu, mas sabemos que não e as estatísticas provam isso. Fora isso, a qualidade de ensino caiu muito e feio. Mesmo não vivendo mais no Brasil tenho acompanhado as estatísticas. São tantas coisas que envolvem o ensino, que não dá para separá-los.

Os problemas são sérios e grandes. No fundo, eles acabam afetando sempre a classe mais pobre e aí, a criança, o adolescente e os jovens não querem ir à escola porque precisam ajudar a mãe ou o pai nas despesas da casa. Dói-me o coração quando alguém me diz que não sabe ler nem escrever. Imagine, num tempo desses, onde tudo está ligado através de internet, onde podemos fazer tantas coisas. Mas tudo pára exatamente na escrita.

"Mais grave ainda é a situação do Nordeste, que tem o mais elevado índice de analfabetismo entre as cinco regiões do país. - Mostrar texto das mensagens anteriores - "Na média, um em cada cinco nordestinos declarou que não sabe ler nem escrever um bilhete simples." Leia daqui: "Brasil tem segundo maior índice de analfabetismo da América do Sul"

"O contingente de analfabetos no Brasil acima de 15 anos, 14 milhões de pessoas, coloca o país no grupo das 11 nações com mais de 10 milhões de não-alfabetizados, ao lado do Egito, Marrocos, China, Indonésia, Bangladesh, Índia, Irã, Paquistão, Etiópia e Nigéria." - Ocultar texto das mensagens anteriores - Os dados sobre o analfabetismo são alarmantes.

A intenção da Blogagem Coletiva não é promover blog algum, mas tem por finalidade trazer novas idéias para combater o analfabetismo. Não gostaria que ficássemos só nas críticas, reclamando que o Brasil é assim, que não tem jeito, que os políticos não ajudam. Disso, todos nós já sabemos. Mas eu gostaria que apresentássemos soluções viáveis. Por exemplo:

A) Como poderíamos ajudar?
B) Como a escola do meu filho, do meu neto, poderia ajudar? Poderia fazer o quê?,
C) Como eu poderia me integrar num plano desses, junto a uma escola, e ajudar voluntariamente? Talvez à noite alfabetizando... Talvez você possa levar essa idéia para a escola mais próxima a você.
D) A própria escola poderia oferecer um curso de 3 meses noturno para a família. O próprio aluno levaria o convite para os pais e outros familiares. A escola dele estaria empenhada em termos de alfabetização dos adultos.
E) Talvez você pertença a uma igreja. Quem sabe os membros da sua igreja possam ajudar a própria membresia a aprender a ler, escrever e oferecer ao bairro essa possibilidade?

Enfim, a Blogagem Coletiva contra o Analfabetismo tem essas finalidades: , Pensarmos em soluções e apresentá-las no bairro em que vivemos. Quem sabe até, apresentá-la ao Prefeito da sua cidade?

Fica aqui o meu apelo e minha convocação para esta blogagem, que tem o apoio total da Meire. Na mesma hora em que falei com ela sobre a necessidade de discutirmos este tema, ela topou no mesmo instante e já foi logo pensando no selo para a nossa blogagem Coletiva. Meire, muito obrigada por tudo. Apoio total também do Lou. A você muito obrigada pelas idéias sobre o tema.

Dia 18 de abril, dia Nacional do Livro . Dia da nossa Blogagem Coletiva contra o Analfabetismo. Pegue o selinho, ajude a divulgar. Participe.
(texto revisado pelo Lou da Gruta)
Muito obrigada e um grande abraço.
Georgia Aegerter

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe