Pular para o conteúdo principal

Curtas da terça-feira

Fui entrevistar a Dona Fifi hoje, para alegria dela e minha tristeza. Não queria ter contato com a vizinha mais faladeira da cidade, mas, são "ossos" do ofício, hehehe. Pena que ela não serviu para ser minha fonte. Em compensação, detenho a informação de que ela me acha linda, hahahaha. Agora mesmo que vou chegar mais perto da janela quando vier do banheiro... pelada, já que ela gosta de ver a coisa preta mesmo, hehehe.
------
Encontrei minha amiga Valéria hoje. Foi bem legal revê-la, mesmo que rapidamente. Só faltou sentarmos no banco da praça para fumarmos e jogarmos conversa fora. Mas temos tempo ainda, se a Jana deixar, claro, hehehe.
------
Ir as compras no "melhor" mercado da cidade sempre me emociona, hehehe. Por mais que eu odeie fazer compras, já que nunca trago nada de útil.

------
Alegria de pobre não dura pouco, dura quase nada... Comprei um garrafão de vinho, da melhor "qualidade". Abri para desgustar a bebida de Baco, mas ao guardar o recipiente, se foi o líquido precioso.

------
Ah, agora entendo o que o Chuchu sentiu no final da feijuca... Sniff Sniff. O único problema foi ter que limpar tudo depois, putz!

------
A cada dia que passa, tenho conhecimento de que nada sei, salvo minhas convicções sobre o que me é incerto. Vá entender isso...
------
Hehehe, só rindo mesmo. Uma coisa sim, sei dizer: eu sou a gostosona dos bodegueiros e mercadistas, hahaha. Adicionei mais um na minha lista de "disponíveis". Pode crer, fome a nêga e a loira não passam, hahaha.
------
Continuo adorando sair para fazer as entrevistas. A cada semana, mais alegrias meu trabalho de repórter me traz. Oh maravilha!
------
Tenho uma nova leitora deste espaço. É uma orkutiana. Fazemos parte da mesma comunidade, que, claro, é sobre blogs e flogs. Ela é muito meiga. Passem lá no blog dela também para prestigiarem os sentimentos e sensações da rapariga - http://celle.manhaes.zip.net
------
Só para variar, meus sentimentos estão latentes. Como canta o Zeca Baleiro, "eu ando tão a flor da pele, que até beijo de novela me faz chorar".
------
Hoje descobri que não sou a única mulher fã da Revista UM. Se demorasse mais um pouco com o impresso nas mãos, acho que a louca ia chibatear. Mal levantei da cadeira e ela já estendeu a mão para pegar a revista. Foi simpática, mas...

------
A doida que mora comigo comprou duas camisetas para a tradicional feijoada da Escola de Pais de Videira. Que legal! Legal porra nenhuma, hehehe. R$ 50tão por dois pratos de feijoada... É pácábá. Só de raiva vou comer feijoada até sair pelos buraquinhos. Será que dá para parcelar as entradas??? (em 10x de R$5, é claro...) Mas vou perdoar a "Docinho", o blonder que ela tá usando é forte demais, muita amônia nos neurônios dela...
------
Em tempo, recomeçaram as ligações "confidênciais" de novo para o meu celular. Queria saber porque esse "povo" insisti em ficar no meu pé, que nem chulé? Isso é o fim da picada!

Comentários

Anônimo disse…
Putz! Até em videira tem uma "Jana" no teu pé? Será que ela enche tanto o teu saco como eu.
Mas aposto que ela não deixou vc dormir na cama dela como eu deixei, e o que é pior, eu não estava "em casa"

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe