Pular para o conteúdo principal

Quem transa com podólatra não esquece


Alguns homens têm verdadeira fixação por pés femininos. Para desvendar esse mistério, nada melhor do que um verdadeiro especialista no assunto. Giuliano Moretti é autor do livro Tesão por Pés: A Realidade de um Gosto Excêntrico. Em entrevista ao Terra, ele foi logo avisando que não gosta de ser classificado como podólatra assumido. "Eu me classificaria como um 'admirador da mulher da cabeça aos pés'".
Para Moretti, é preciso entender que o fetiche pelos pés ou por qualquer outra parte do corpo não pode excluir o todo. "É de fundamental importância comentarmos que o fetichista saudável é aquele que, apesar de sentir uma atração especial pelo seu objeto de fetiche (no nosso caso, os pés), sabe explorar plenamente o mapa de prazeres oferecido pelo corpo de sua amada.
"O escritor fala que o fetiche não deve ser encarado como "uma tara ou anomalia do indivíduo, mas como uma maneira a mais de apimentar ou incrementar o prazer numa relação sexual."
De acordo com as pesquisas que fez quando estava elaborando o livro, mesmo as mulheres "que achavam estranho este gosto em particular, depois que experimentaram uma relação envolvendo seus pés, afirmaram que as sensações provocadas pela exploração (de seus pés), seja em fase preliminar ou durante o ato sexual, foram estimulantes, muito prazerosas e, principalmente, inesquecíveis.
"E completa "depois que tiveram seus pés idolatrados, elas não quiseram mais perder este privilégio na hora da relação. É óbvio que quando experimentam isso nunca mais querem perder tal sensação."
O que cada um gosta
Sobre as particularidades de cada podólatra, Moretti é didático. "As partes admiradas pelos podólatras podem ser os dedos (a maioria os prefere harmoniosamente simétricos), arcos acentuados (pés bastante curvados), unhas bem feitas, pele lisa, hidratada e livre de calosidades e joanetes, calcanhares redondinhos (não achatados e secos), dentre outras características."
Mas nem todos os podólatras esperam perfeição. "São raros, mas há podólatras que gostam de pés maltratados, sujos, com calos, secos e por aí vai... São excentricidades que devem ser consideradas, mas geralmente não se enquadram em casos considerados como patológicos, já que não apresentam nenhuma evidência degradante no que se refere à própria sexualidade."
Até o conhecido chulé pode ser objeto de admiração. "O odor dos pés provocado pelo uso contínuo de sapatos pode ser um bem-vindo agente afrodisíaco, dependendo do podólatra. Existem aqueles fetichistas que gostam do cheiro de calcinhas ou outras peças usadas do vestuário feminino. Tal como eles, muitos podólatras também sentem muito prazer ao sentir o odor num par de sapatos ou sandálias usadas, fala o autor de Tesão por Pés.
E diz ainda "a excitação pelo cheiro é um dos componentes remanescentes de nossos tempos mais remotos. São os feromônios cumprindo seu papel biológico. Mas, é claro que nem todos os podólatras gostam do cheiro de chulé. É bom a mulher se certificar antes de brincar com seus pezinhos suados no rosto do seu amado", aconselha.
___
Não sou podólotra, mas admiro pés. Talvez porque os meus sejam tão feios é que tenha desenvolvido certa atração por essa parte do corpo. Mesmo ele tendo calinhos e calcanhar grosso e seco, gosto dele. E tem grande utilidade, além de sustentar o meu peso e caminhar, hehehe.

Comentários

LOL disse…
HAHHAHAHAHAHAHAHA paarece que alguem CITO MEU APELIDO AQUI, eu sou looco POR PÉS MESMO, E NUM VAANHA UMA GAROTA DO PÉ FEIO COM GRAAÇA PRO MEU LADO NÃO QUE EU SAIU CORRENDO SAAKAS.
kkkkkkkkkkkkk
ANTES DE FICA COM ALGUMA MENINA OLHO O PÉ ANTES :D

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe