Pular para o conteúdo principal

Blues

A despedida de B.B. King
são paulo



Aos 81 anos e mais de 60 de vida artística, B.B. King está de volta ao Brasil, desta vez a bordo da "The Farewell World Tour" - em português, "A Turnê de Despedida". O guitarrista americano escolheu justamente o País para dar adeus à estrada, mas já garantiu que não vai parar completamente. "Nunca diga nunca mais", disse, em entrevista coletiva em São Paulo, onde fez a primeira parada da turnê, quinta-feira. "Vou tocar até o último dia. Espero."Na terça-feira, B.B. King faz, no Teatro Guaíra, em Curitiba, o penúltimo show do giro brasileiro - que, especulou-se, quase passou por Florianópolis. Ele se despede no dia 7, no Rio de Janeiro. Ele não revela o repertório das apresentações, algo que costuma definir pouco antes de entrar no palco com sua inseparável guitarra Lucille. "Algumas canções antigas e algumas novas, para atingir mais pessoas, os jovens, seus pais e também os avós", comentou.Verdadeira referência de músicos tão diversos quanto Eric Clapton, Buddy Guy, Freddie King, Jimi Hendrix, Johnny Winter e Albert King, entre outros, B.B. King é a síntese do blues. Hoje, prestes a se aposentar, B.B. King tem um museu em sua cidade natal, Itta Benna (Mississipi) ostenta 14 Grammy, entre vários outros prêmios e homenagens.
· O quê: Show com B.B. King. Quando: Terça-feira, 21h30. Onde: Teatro Guaíra, rua Conselheiro Laurindo, s/nº, fone (41) 3304-7900, centro, Curitiba. Quanto: R$ 780,00 (platéia), R$ 580,00 (1º balcão), R$ 380,00 (2º balcão).
Meia-entrada para estudantes, pessoas acima de 60 anos e portadores do cartão-fidelidade do Teatro Guaíra. Ingressos à venda no teatro e nos sites www.bbking.com.br e www.tguaira.pr.gov.br
____
matéria publicada no Anexo, Jornal A Notícia, de Joinville, dia 3 de dezembro. havia esquecido de publicar na segunda.
____
bom, depois do jazz (cujos os pais e avós já estão quase todos mortos, hehehe), adoro blues. o cara já esteve duas vezes em Porto Alegre e a pobre aqui nunca pode ir assistir ao show do B. B. King. mas, sempre disse: antes que esse velho morra vou assistir ao show do cara. e ainda completava, a beira do Rio Mississipi. bom, depois do preço do ingresso, mais barato, por mim o velho do blues pode morrer que eu não vou mais, hehehe. fala sério!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Se o queijo mofou está estragado [1]

Errado! E só soube disso uma semana depois de ter posto aproximadamente um quilo de queijo colonial no lixo, cheia de dó no pensamento, no estômago e principalmente nos olhos. Logo eu, que sou como avestruz e como até pedra com pimenta do reino moída na hora [se não for assim eu não gosto].

O fato aconteceu logo que vim de casa, após comemorar meu aniversário com minha família e amigos do peito [Jana, sua jararaca, não se inclua nesse núcleo]. Na bagagem sempre trago vários mimos e a cesta básica patrocinada pelo Araújo. Mas, dessa vez, tinha algo a mais: duas metades de queijo redondo, de diferentes sabores, no estilo colonial.

Depois de uma semana degustando o melhor deles, aquele mais branquinho e molinho, levemente salgado - diria que quase um polenguinho - decidi saborear o outro, mais amarelinho, sequinho e oleoso, com doce de leite. Dez dias a base de queijo e salame e enjoei. Sob orientação da minha mãe, deixei os queijos num pote bem ventilado, a sombra.

Mas a umidade no Flat fo…

Sóis

Sexta-feira de manhã. Não precisei abrir o aplicativo que controla meu ciclo menstrual para saber que estava de TPM. O mau humor era latente e já o percebia insuportável até para mim. E chovia. Muito. Dia perfeito para ficar em casa, hibernando, como costumo definir dias e este estado de espírito. Mas não. Tinha que encontrar um amigo-cliente, que ontem estava sem comunicação via smartphone. Não havia escapatória. Teria que ir.
Fechava assim meu período de pré-aniversário, antecipadamente. Não suportaria mais uma semana. Teria eu mesmo que dar o start em novas energias e começar Setembro com os dois pés direitos.
E hoje, no primeiro dia do mês, ainda cinza e molhado por aqui no Sul do país, um novo sol surgia. Mesmo que ainda de TPM, a virada do mês sopra em mim mudanças. Novos tempos. Renovação.
Fiz a mesma coisa que nos últimos sábados do calendário letivo. Acordei, peguei a mochila gasta e sai respirando o ar úmido e cheio de partículas de vida e possibilidades dentro de mim. E quand…

Nos phones: Todo homem

O sol Manhã de flor e sal E areia no batom Farol Saudades no varal Vermelho, azul, marrom Eu sou Cordão umbilical Pra mim nunca tá bom E o sol Queimando o meu jornal Minha voz, minha luz, meu som

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe

O céu Espuma de maça Barriga, dois irmãos O meu Cabelo, negra lã Nariz e rosto e mãos O mel A prata, o ouro e a rã Cabeça e coração E o céu Se abre de manhã Em abrigo, em colo, em chão

Todo homem precisa de uma mãe
Todo homem precisa de uma mãe