sábado, 30 de outubro de 2010

Síndrome do Amor

Ê Ô! O vento soprou!
Ê Ô! A folha caiu!
Ê Ô! Cadê meu amor?
Que a noite chegou fazendo frio


Eu não tenho filhos, mas já tive desejos de gerá-los em vários momentos e por vários motivos. Já tive vontade de adotar e isso eu ainda alimento, no recôndito de meu ser. Logo, não entendo o que é esse amor incondicional de mãe, a não ser aquele que recebo da minha velhinha querida, todos os dias, quando abro os olhos. Porém, me contradigo ao afirmar agora que sei amar e, acredito ainda, de diversas formas, incondicionalmente.

Hoje, 30 de outubro, Dia do Amor Incondicional, me solidarizo com a instituição Síndrome do Amor ao conhecer uma partícula de sua história. E venho aqui pedir para que visitem o site da organização que dá apoio a famílias de crianças com síndromes genéticas severas. É meu jeito de estender a mão às mães, como a minha tia Ica e a Luci Zago, capazes de amar ao próximo como amam a si.

Muito amor a todas vocês gurias, que a peleia é grande, mas vocês conseguem. Eu sei!

4 comentários:

Lidia Ferreira disse...

Minha querida ,
Lindo texto e esse vídeo e muito emocionante , me levou as lágrimas
Parabens
bjs

jana disse...

amor incondicional arrisco a dizer que não é somente de mães, é de tias, avós, madrinhas. eu tenho a um sobrinho especial, dia 25/12 ele completa 19 anos, e para a nossa família sera 19 anos de amor incondicional

p.s: a ica so não tem amor incondicional pelo sha, esse ela quer que eu ame a ponto de levar para casa, kkkk

Cor de Rosa e Carvão disse...

Lídia e Jana, visitem o Síndrome do Amor ou o Falando de Amor. Vocês verão que tem muita gente capaz de ser amoroso, nesse nivel que tu falou cabeluda. Beijo

Marília Castelo Branco disse...

Obrigada por nos ajudar a divulgar nosso trabalho. Teremos lindas novidades em maio e junho. Acompanhe!! bjs Marília (www.sindromedoamor.com.br)