Perfil

Tipo 8 ou 80

Estou em mutação. Aos 36 anos {37 [38 (39-41), desde 7 de setembro]}, essa é a única certeza que tenho de mim mesma. E a de que meus dedos da mão esquerda formigam enquanto reescrevo quem eu sou.

Posso dizer algumas preferências se fizer questão de me mapear. Gosto de música. Estilos diversos. Ou seja, verso meus lábios, minhas cordas vocais, meus ouvidos, meus sentidos por MPB, por Reggae, por Jazz, por Word Music, por Samba Canção, por Samba de Raiz, pelo Rock Nacional e pelo Pop Internacional.

Nas letras também sou volúvel. Hora prefiro poesias, Hora prefiro romances. Tenho uma queda por histórias de suspense, por contos do submundo urbano e humano [se é que possa existir outro]. E amo biografias. As malditas então... Quem não gosta da vida alheia?

Não gosto de teatro. São poucas as montagens que me atraem. É tudo muito fictício no palco. Ou verdadeiro. Afinal, ali estão os atores representando [e extrapolando limites] o que podem e na sua melhor forma. Talvez seja por isso que não goste.

O que gosto é de cinema. Gosto de me iludir. Com romances, com dramas, com comédias, com ficção científica. E na vida real, ao que me afirma os fatos românticos de minha vida. Amor e ilusão!

Quem sabe seja bom lhe avisar que também sou rancorosa, mal humorada, raivosa [embora vacinada] e que guardo mágoas. Aos poucos venho trabalhando meu lado mau, mas, como agora sei que sofro de TPM, passei a usá-la como desculpa para o comportamento ruim ou fora do padrão.

Mas não se assuste a toa. Sei ser doce e amável, amiga, carinhosa, cuidadosa e zelosa. E faço isso com prazer aos meus amores. Mas não me peça sorrisos quando quero morder. Meu veneno também é meigo e açucarado. Mata Feri diabéticos. Meu veneno também é afável e salgado. Mata Feri hipertensos ou doentes do coração.